Whatsappp

(21) 985.564.736

Celular

(21) 988.614.508

Campos de Goytacazes/RJ

 (22) 3013.9494 

(22) 3026.2613

Síndrome dos Ovários Policísticos: mudando a perspectiva de tratamento

O site Vila Mulher da Uol falou sobre Síndrome dos Ovários Policísticos e a perspectiva de tratamento.

Doença que afeta mais de 116 milhões de mulheres no mundo é a maior causa de alterações nos ciclos menstruais e pode dificultar a gravidez

A Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP) é um distúrbio hormonal e a principal causa de alterações menstruais e de disfunção ovariana entre as mulheres e que tem como consequência um aumento na dificuldade de gravidez, afetando 20% das mulheres durante a fase reprodutiva.  A doença ocorre pela alta produção de testosterona (androgênios) no organismo feminino e pode ter início na vida intra-uterina, manifestando-se na puberdade e continuando durante os anos reprodutivos, estendendo-se até a menopausa. Durante este período, as mulheres têm mais probabilidades de desenvolver doenças cardiovasculares, hipertensão arterial, diabetes e outras complicações metabólicas.   

De acordo com a ginecologista e especialista em reprodução humana da Clínica Fertipraxis, Dra. Maria do Carmo Borges de Souza, durante os anos reprodutivos, além da dificuldade de engravidar pela frequente diminuição dos ciclos ovulatórios, os ovários mostram-se cheios de pequenos folículos, (mais de 10-12 em cada ovário) condição que caracteriza a situação de ovários policísticos ou microcísticos. "Esta alteração pode ainda aumentar as possibilidades de complicações de uma gravidez, determinando abortamentos espontâneos, diabetes gestacional e pré-eclâmpsia", explica a médica.  

 

Segundo a Dra. Maria do Carmo, esse problema ocorre porque as mulheres que possuem a doença são frequentemente insulino-resistentes, ou seja, apresentam uma dificuldade na metabolização da glicose (fonte de energia das células), levando a uma maior necessidade de produção de insulina pelo pâncreas e a uma diminuição na produção de hormônios carreadores dos hormônios sexuais pelo fígado. "Essa condição resulta em um quadro geral no organismo de aumento de insulina (hiperinsulinemia) e aumento da produção ovariana dos androgênios (hiperandrogenemia). É fácil então entender que a persistência desta situação vai ter consequências sobre a vida destas mulheres", acrescenta.   

 

 

Acompanhe nas redes sociais

 


Informações de Contato

Barra da Tijuca
Avenida das Américas, 4666 salas 312/313
Centro Médico Barrashopping
Rio de Janeiro / RJ

Leblon
Av. Ataulfo de Paiva, 135 - Sala 1414
Ed. Cidade Leblon
Rio de Janeiro / RJ

Campos de Goytacazes/RJ
Dra. Joyce Barreto
Rua Saldanha Marinho, 458 - sala 1215
Ed. Connect

 

Barra da Tijuca